Crianças indígenas e a violência silenciosa

A Kuñangue Aty Guasu coletou testemunhos de meninas e mulheres que foram sexualmente abusadas em suas casas por seus pais, tios, e avôs. Elas descrevem que os abusos geralmente acontecem à noite, enquanto as mães estão longe de casa, ou quando elas estão sozinhas com seus "responsáveis".
Nas comunidades indigenas o caso da violência sexual ainda é um tabu, as pessoas sentem receio só de ouvir falar no assunto, é que quando a vítima é adolescente não denuncia porque fica com vergonha de ser mal falada, não arrumar um namorado e outros casos. Por esse motivo, muitas relatam se sentir vulneráveis, desesperançosas, e com medo de falar sobre o que elas experienciaram. Os pais escondem, a mãe nega, e quem sofre é a criança. Muitas carregam consigo o trauma e medo até os dias atuais.
O que fazer com tantos casos de violência?